Cook in Rio on G1 News

brazil’s biggest news syndicator! check us out!

G1 – Aula de culinária vira programa de turista no Rio – notícias em Rio de Janeiro

')}}OAS_PrintGLB();

23/12/2011 08h33 – Atualizado em 23/12/2011 08h33

Aula de culinária vira programa de turista no Rio

Estrangeiros aprendem a preparar moqueca e caipirinha.
Chef Simone Almeida deixou seu bistrô para dar aulas.

Beatriz Padrão

Do G1, no Rio

11 comentários

A aula é cheia de sabores bem brasileiros: aipim frito com pimenta, batida de maracujá com coco, maxixe com cebola, caipirinha, farofa de banana, arroz, moqueca de peixe e cupuaçu de sobremesa. Em quatro horas, a chef Simone Almeida ensina o passo a passo de todas as receitas. Os turistas participam de cada etapa do preparo e, claro, provam tudo.

A batida foi eleita a preferida dos alunos. A indiana Rohina Sardesai contou que já havia provado nos bares do Rio a bebida, mas que não tinha um gosto tão bom quanto a que provou na aula. Ela também elogiou a moqueca: “é espetacular. É um sabor tão fresco que eu amei”.

Os colegas de classe da indiana foram duas irmãs americanas e um holandês. Todos chegaram ao Cook In Rio, nome do ateliê da Simone, pela internet. Lauren e Erin Wilson acharam a indicação da aula de culinária num site de turismo. Mark Koelen, que trabalha escrevendo num blog sobre a comida dos países que visita, encontrou a atividade pelo Facebook.

Simone tinha seu próprio bistrô e decidiu começar a dar aulas de cozinha brasileira há três anos, quando conversava com o amigo Cristiano Nogueira, que é preparador de guias turísticos. “Ele disse que eu tinha muito jeito para ensinar. Essa atividade já forte na Tailândia e percebemos que tinha mercado no Brasil”, contou ela. Simone lembrou também que seu diferencial é a parte histórica.

O espaço onde acontece a aula contribui com o clima divertido. Quando a turma é de até seis pessoas, Simone fica no estúdio em Copacabana, na Zona Sul do Rio. O charme começa na fachada do prédio antigo. A decoração do estúdio é colorida com adesivos de frutas na geladeira e na parede do fogão. Panelas de cobre penduradas também ajudam a dar o clima. Se o grupo de alunos for grande, a aula passa para o jardim de um restaurante no Centro.

O preço da tarde gastronômica é R$ 120. O prato principal do dia é previamente acordado com a turma e o mais pedido é a moqueca (Veja ao fim da reportagem). Mas os alunos também escolhem feijoada, frango com pequi, galinha com quiabo, escondidinho e bobó de camarão. Em alta temporada, época de férias e carnaval, Simone chega a dar duas aulas por dia.

Outros ateliês também atendem turistas
O Rio tem outras opções semelhantes. Ateliês já especializados em dar diversos cursos de culinária perceberam a oportunidade em abrir turmas para estrangeiros. A gastrônoma Helen Puterman, que comanda a oficina Uma Chef em Casa, em Ipanema, contou que recebe grupos gringos uma vez por mês, em média. “Não é o foco principal do meu negócio, é um nicho de mercado. Para conseguir clientes fiz contato com hotéis e guias nacionais. Normalmente, os turistas preferem aulas nos dias chuvosos”, acrescentou.

Helen se preocupa em fazer receitas com ingredientes que os turistas possam encontrar no país deles. Além da tradicional caipirinha, ela costuma ensinar mais casquinha de siri, arroz de coco e sobremesas à base de banana ou goiabada. As aulas duram duas horas e o custo é R$ 220. Uma Chef em Casa também tem cursos para crianças e para domésticas.

Em Copacabana, outro ateliê já dá aula para turistas há dois anos. “Fui procurada por agências de turismo e passei a dar aulas. Normalmente são duas por mês, em dezembro e janeiro esse número aumenta”, disse Maria Tereza Martins, professora de As Marias Culinária. O preço que ela cobra pode chegar a R$ 250 e varia de acordo com o cardápio que costuma ter. As aulas duram três horas em média.

Receita de moqueca baiana para quatro pessoas

– 1 cebola cortada em rodelas
Р1 pimenṭo amarelo cortado em rodelas
Р1 pimenṭo cortado em rodelas
– 2 colheres de óleo de dendê. Fritar em frigideria grande com todos os ingredientes acima até antes de perder a cor natural
-200 ml de leite de coco
-Sal
-Peixe branco. Pode ser o linguado. Cerca de 150g por pessoa. O peixe precisa ser marinado por 10 minutos antes de ir ao fogo, com limão, sal, pimenta preta e cominho
-Adicione alguns camarões. Salpicar folhas de coentro por cima. Esperar até o peixe e os camarões ficarem corados

140 caracteres

Verificação de segurança

11 comentários

600

Publicar no:

 

trocar

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Mary Suehtt

    Os cariocas aprenderam a fazer moqueca com os baianos , ou eu estou enganada??????? Porque existe carioca que sabe não só a fazer moqueca , como vatapá, acarajés em fim muitos pratos que os baianos trouxeram para o Rio, minha mãe foi uma baiana que veio da Bahia para ser escravizada no Rio de Janeiro e deixou muita coisa boa para esse povo do Rio de Janeiro, me criei no Rio e vi muita gente ganhando dinheiro com esses pratos típicos ,angu á baiano e por aí à fora, os cariocas conseguem dar um show de comida para qualquer um que passa ai no Rio; Isso eles devem à cultura baiana!

    1 hora atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Euquilandesbrasil

    a melhor moqueca do mundo e a da minha tia,que mora no espirito santo !!!!!….a moqueca capixada na minha opiniao e a melhor domundo !

    4 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Arthur Sant

    Ha.. esqueci.. Moqueca é capixaba, o resto é peixada!

    4 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Arthur Sant

    Flavio Costa e Antonio Pinheiro, gosto é igual a vcs sabem o que, né? O termo não é utilizado nem foi criado para valorizar a moqueca, pelo contrário, é uma constatação Nacional em comparação às outras!

    4 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Fabricio Ribeiro

    Na verdade moqueca só fica boa mesmo com coentro, por isso a moqueca capixaba se ressalta.

    5 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Giuseppe Rissi

    Moqueca e capixaba, o resto e peixada…..

    7 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Flávio Costa

    Não sou baiano, mas concordo com Antonio pinheiro. Alias esta moqueca capixaba esta mais pra sopa de peixe, nem peixada seria.

    7 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Fernanda BorgesVitória, ES

    Concordo com Arthur, vem pro Espírito Santo e aprendam a fazer moqueca

    8 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Antonio Pinheiro

    Dizer que muqueca é a capixaba e o resto é peixada é nao ter comido uma moqueca baiana. Alías essa frase “Moqueca é Capixaba o resto é Peixada” é usada para valorizar a tão sem graça moqueca capixaba, que na minha opiniao nao passa de uma peixada. A VERDADEIRA MOQUECA É A BAIANA.

    8 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Anoel Azeredo

    Bastante louvável essa iniciativa de divulgar para os turistas, os sabores do Brasil, isso contribui para fidelizar as visitas de estrangeiros ao nosso país.

    9 horas atrás

  • Denunciar

    Tem certeza que quer denunciar?

    Arthur Sant

    Moqueca de Peixe no Rio… huuum… Não seria Peixe ensopado.. hehe.. Moqueca é Capixaba o resto é Peixada.. rsrsrs…

    9 horas atrás

publicidade

publicidade

Shopping
  • A a Z Perfumes

    Perfume 212 Men Carolina Herre…

    à vista R$203,15

  • Magazine Luiza

    TP-LINK TL-MR3420

    8 x R$33,63

  • Balão da informática

    Projetor Samsung SP-M200

    10 x R$129,88

  • Colombo.com.br

    Fogão Electrolux Celebrate 5 B…

    12 x R$158,25

  • Fast Shop.com.br

    Micro System Panasonic SC-HC25…

    10 x R$49,90

busca de produtos

compare preços de